quinta-feira, 7 de novembro de 2013

"Optimismo"

Um dia destes li um artigo da Psicóloga Helena Marujo, em que tentava explicar donde provinha o pessimismo que caracteriza um pouco o povo português, explicando em teoria que, até ao terramoto de 1755 havia em Portugal uma grande clima de optimismo, consequência do período áureo que Portugal atravessara, a partir dessa grande catástrofe, que marcou a vida do país, surgiram alterações psicológicas no povo português, nascendo e desenvolvendo-se a pouco e pouco um sentimento de pessimismo e descrédito na cabecinha do nosso povo que prevaleceu até aos dias de hoje.
Pelos vistos eu também sofro um pouco dessa doença e perdoem-me, o futuro não se me afigura risonho. Uma grande parte das pessoas está endividada, vivendo para além das suas possibilidades e algumas já sentem um nó na garganta. É claro que isso repercute-se no comportamento emocional de alguns, notando-se na nossa sociedade já alguns indícios desse aperto, geradores de situações de desespero, com maior índice de criminalidade e comportamentos familiares violentos, como se tem constatado nos noticiários.
Claro que a crise não é para todos, existem os outros, que nasceram com a auréola sobre a cabeça e encaram com optimismo a compra de mais um “palácio” ou um automóvel topo de gama.

Mas temos que prosseguir a caminhada e de cabeça levantada, lutando com todas as forças para que a vida melhore.

João A. Melo

Um comentário:

aflores disse...

Somos uns sobreviventes!

Aproveito para desejar Feliz e bom ano novo.

Tudo de bom!

Grande abraço.