sábado, 21 de março de 2009

Pólos da pobreza e riqueza


Angola possui bastantes recursos para ser um dos países mais desenvolvidos de África, desde ouro, diamantes, petróleo, até o clima e os solos são bons para a agricultura, mas há diversos factores que impedem que o seja, entre eles o mais marcante é a corrupção que grassa no país.
O Papa, em visita a Angola, no seu discurso, um dos apelos que fez foi o da necessidade do combate à corrupção. O apelo soou bem perto nos ouvidos do presidente que estava presente, será que lhe arderam as orelhas? Pois ela encontra-se implantada de dentro para fora, são os funcionários do governo, desde o simples polícia até às mais altas instâncias governamentais os mais prevaricadores.
Nesta visita também contrastam POBREZA/RIQUEZA, por um lado um povo em que cerca de 70% vivem no limiar da penúria, por outro, José Eduardo dos Santos, e o representante máximo do Vaticano, porventura o homem mais rico de Angola e uma das instituição mundiais de maior magnificência. Qual terá sido o contributo, apenas palavras de alento?

Segundavida

8 comentários:

arte por um canudo 2 disse...

Não sei não João..mas penso que é o mesmo que pregar aos peixes. Tanto o Papa como o presidente de Angola, acho que dizem aquilo que não fazem e por isso só dizem o que é conveniente e que faça parte do politicamente correcto. Nada vai ser alterado porque eles (os poderosos) assim o querem.Bfs

Anônimo disse...

Não fosse o respeito que tenho por ti e pela tua escrita, deixaria aqui um termo que se usa muito pelas minhas bandas, mas que, pela terminologia, não me atrevo.
Fica então uma versão soft da mesma:"De um um lado chuva, do outro vento".
Grande abraço.

Teresa Santos disse...

Descobri hoje/agora, o teu site. Vim pela mão do Pedro Barroso, um Homem que admiro profundamente.

É bom encontrarmos neste mundo pequenino, sem valores, sem alma, onde só impera a hipocrisia, a indiferença pelo outro alguém que ainda consegue ser verdadeiramente gente, poeta, sonhador, solidário.

Obrigada.
Seguir-te-ei.

mary90 disse...

Olá João.
Ninguém conhece melhor do que eu as potencialidades de Angola, se tivéssemos a riqueza que eles têm Portugal estava bem melhor.
No caso deste grande país africano, todos criticavam que havia pobreza porque os angolanos eram explorados pelos portugueses, mas naquele tempo todos tinham casa trabalho e comida, podiam não viver com muito luxo, mas aqui em Portugal temos pessoas a viver em barracas e que passam fome.
E agora será que os angolanos estão melhores?.É claro que não, tenho lá família e posso dizer que cerca de 30% vivem em vivendas têm empregados em casa ganham em dólares e vão aos supermercados próprios, mas os restantes vivem na pobreza nas casas que ocuparam e que se foram degradando, como bem dizes há muita corrupção.
Mas eu acredito que Angola ainda vai voltar a ser um grande país mas novamente com a ajuda dos portugueses que já estão a partir para lá e,também vai ser bom para portugal devido ao desemprego que temos por cá.
Mas é triste ver que um país tão rico tem tanta criança á procura de comida nos caixotes do lixo.
A igreja de S. Paulo onde esteve o Papa foi onde fiz a comunhão, morava nessa rua.
Um abraço.

Jotas disse...

Caro Amigo, se há coisa que me vai revoltando cada vez mais, são os contrastes e as assimetrias cada vez mais vincadas entre a riqueza e a pobreza, sinceramente é assunto que me revolta.
Olha, fui ao Oceanário e coloquei umas fotos fantásticas na alma gémea, espero que gostes, um abraço.

angelis disse...

Se não existisse a politica, a corrupção, atitudes movidas pelo dinheiro, etc, etc...as assimetrias seriam menos evidentes, a pobreza seria erradicada, a fome seria um fantasma longuinquo...mas isto seria num mundo ideal.

Lucas Vallim da Costa disse...

Corrupção é um assunto sério...Se não houvesse nenhuma no Brasil teríamos chances de tentar ser primeiro mundo!

Mar disse...

Esse caso de ANGOLA, esse caso de miséria sem fim abandonada no mundo é o efeito do que foi bem explanado a partir do ponto de 1h40m no documentário ZEITGEST que assisti ontem. Para que o mundo fosse um lugar melhor, o poder deveria desmoronar com efeito dominó, e para isso, a população mundial deveria se converter a humildade e reaver o direito de pensar e agir. Enquanto o mundo for dominado pelo poder centralizado da política e certas instituições, infelizmente, vai ser cada vez pior. ELES dizem: "Eu não me importo com eles". Caso ELES quisessem, começariam por implantar um controle de natalidade nos paises pobres, junto com apoio à saude, ao trabalho e a uma vida digna. É tão simples, mas os que controlam o mundo NÃO QUEREM! -Porque não dá lucro para eles.