quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Nostalgias de Outono

Estamos ainda na primeira metade do Outono, para mim a estação do ano mais nostálgica. Em primeiro lugar porque terminou o verão, as idas à praia, o encontro de amigos e familiares, e respectivas patuscadas: Também porque se me emergem muitas recordações da minha juventude, quando vivia na quinta onde nasci, cresci e permaneci mais em contacto com a natureza. Hoje estou em condições de afirmar que quando se é criança e durante toda a fase da adolescência, têm-se mais tempo para observar a natureza, pensar nos quandos e nos porquês. Lembro-me de muitas vezes me deitar sobre a relva fresca e ficar tempos infinitos a olhar para o céu, para as nuvens e os pássaros, a tentar (semicerrando os olhos) olhar o sol, pensando como tudo surgiu.

O Outono também me faz lembrar as caminhadas até à floresta, para apanhar cogumelos, que se encontravam escondidos sob o manto castanho/avermelhado de folhas caducas, e quando os não encontrava, enchia os sacos com castanhas para um belo magusto. Também nesta altura se ouviam fortes e relampejantes trovões, que me faziam ficar quieto e mudo a um canto da cozinha, valendo as rezas de minha mãe «Santa Bárbara bendita, que no Céu está escrita, com um raminho de água benta, livrai-nos desta tormenta», que me deixavam mais sereno.

Também é no Outono que deixamos de ver as andorinhas, que de manhã até à noite, esvoaçam os nossos céus, numa busca incessante de alimento, comendo todos os insectos que com elas se cruzam no ar. Elas juntam-se em grandes bandos e voam em direcção aos países mais quentes de Africa, para depois voltarem na Primavera.

Por me serem tão familiares pensava que as andorinhas eram portuguesas, mais tarde compreendi que elas não tinham pátria, mas muitas voltavam todos os anos ao mesmo ninho, por isso têm nelas um pouco de Portugal.

Até pr’o ano!

Segundavida

17 comentários:

jo disse...

O Outono é sempre uma estação explendorosa pelos muitos tons que vão do laranja. ocre, deourado e... e pelo as folhas que atapetam os campos. Linda de morrer e eu, apesar de ir numa idade já entradota, ainda me surpreendo sempre com a natureza e encontro sempre algo que n unca tinha visto. Estar na Natureza e se for possível com mar á vista é das coisas que mais gosto e me pacifica. Bjs

bitu disse...

Regressei amigo...partiram as andorinhas e chego eu. Não sei se te acontece mas eu questiono-me milhentas vezes sobre o facto daqueles seres tão pequenos conseguirem voar milhares de km e regressarem anualmente ao mm sitio. na minha varanda começou por haver 1 ninho, este ano ja foram três. É a familia toda que regressa a cada primavera.
Beijokitas e bom fds

Grilinha disse...

O Outono é a estação que menos gosto por ser incerta a temperatura, a chuva o vento.

Quanto ás andorinhas cá as esperamos para o ano.

Um beijinho

Pedra da Lua disse...

Olá João! O Outono tem realmente alguns atractivos, as folhas mudam de cor, de tal forma que, é frequente vermos verde misturado com amarelo, castanho e até vermelho! Eu acho fantástico dar longos passeios pela floresta e ouvir o "clik" das folhas por baixo dos nossos pés! Acho fantáticas as castanhas assadas, o rodopio das folhas à nossa volta. É como tudo, tem atractivos e coisas menos boas mas... há sempre q tirar o maior partido possivel do lado mais positivo de tudo. Boa semana :)

Anônimo disse...

As estações do ano já não são o que eram. Acho que andam um pouco "baralhadas"...há quem diga que é do aquecimento global.
De qualquer das formas, o Outono é aquela estação de "mudança"....nunca se sabe o que vestir...de manhã está frio e de tarde temos tardes de...Verão.
É também o mês das castanhas :):) e da vacina contra a gripe :o)

Sabe bem esta nostalgia. ;)

Grande abraço.

arte por um canudo 2 disse...

Vai-se o Outono vem o Inverno e a época da lareira. Vem também a quadra mais apetecivel do ano: O Natal.Aparecerão também quando esta quadra acabar as nostalgias de Inverno?Talvez, se a recordação que fica valha a pena de novo recordar... Gr. Abraço. Boa semana.

Luisa disse...

Acho lindo o Outono pelas suas cores e pela tonalidade do céu. Também vivi na província e deliciavam-me esses dias em que todos iam para as vindimas antes que viessem as grandes chuvadas.
E depois era o entusiasmo pelo recomeço das aulas, não tanto pelo estudo em si, mas pela alegria de encontrar os antigos colegas e conhecer os novos. A compra dos livros, cadernos e lápis, tudo novo em folha, também me dava uma grande alegria. Para mim o Outono era o princípio do ano e não o 1 de Janeiro. POrque era no Outono que se faziam todos os projectos

cõllybry disse...

O Outono com sua beleza nostangica, mas linda é ela...

Belissimo texto, e belo espaço

Beijitos

Sílvia disse...

Outono = Outubro = um ano a mais. :)
Bom fim de semana!

bitu disse...

Ola amigo João! Tenho andado com tanto trabalho que mal tenho tempo para blogar, depois tb houve a confusao com os blogs da simplesnet e a delta fez-me um no sapo daí que fiquei indecisa sobre qual deles ficaria em stand by. Decidi-me pela simplesnet e venho informar e ao mesmo tempo deixar aquele aconchego num abraço quentinho bem gostoso no outono.

marius70 disse...

Olá João

Depois de algum tempo de ausência no contacto com os amigos, por diversas razões entre elas o transportar para novos blogues tudo aquilo que tinha num só e mesmo esse ter desaparecido e reaparecido como por artes mágicas eis-me a ler este teu tema sobre o Outono.

«Santa Bárbara bendita, que no Céu está escrita, com um raminho de água benta, livrai-nos desta tormenta».

Quando li esta tua passagem sorri. Lembrei-me da minha Mãe quando nós tínhamos alguma maleita as diversas ladainha (uma para cada situação) que a minha Mãe rezava para esconjurar os males do corpo.

Não me lembro de alguma vez ela ter feito alguma referência a Santa Barbara mas que muito nós nos lembramos dessa santa quando troveja é verdade. A sabedoria e a fé do povo aliadas no presente como no passado, aos caprichos da Natureza.

Pena tenho de junto à minha Mãe não ter aprendido mais sobre essa forma de esconjurar pois se bem podia não fazer também nada de mal vinha ao mundo saber essas ladainhas populares que vão-se perdendo com o tempo e com a globalização.

O Outono é o momento em que a Natureza prepara a renovação. cai a folha, as árvores despem-se e nós entrámos numa fase melancólica.

Somos filhos da Natureza e ela prepara-nos também para que à melancolia, à introspecção, renasçamos com mais vigor na próxima estação em que de novo as árvores se cobrirão de folhas e os pássaros voltem a encher os céus com os seus cantos e os ninhos voltem a sentir o renascer de novas vidas.

Somos feitos todos da mesma matéria e é esta a altura ideal para escrever pois não há melhor estação que o Outono e o Inverno para transportar para o papel tudo o que nos vai na alma.

E é tão bom deitar-se sobre um manto de folhas caídas, olhar o céu e sentir que somos palha no meio do Universo. Senti isso em Cabinda, quando na tropa me deitava em pleno mato e olhava para miríadas de estrelas e sentia-me um ser insignificante mas ao mesmo tempo satisfeito em saber que fazia parte integrante do Cosmos embora como partícula ínfima.

Um abraço João

Mar disse...

Gostei de conhecer uma nova oração para nos proteger das trovoadas. Minha mãe pedia para rezarmos assim: "Santa Bárbara tende piedade de nós" (tres vezes) e até hoje qd vem a tempestade eu rezo assim, agora vou adotar a tua que é mais completa.
E as andorinhas, acho que são portuguesas com certeza. E as criaças de hoje Jam... já não vivem como viviam as crianças de ontem. Elas estão perdendo o todo da vida.

Uma estrela errante disse...

Olá,

As doces lembranças viajam em saudade...

O Outono e os seus encantos...

Beijinho

Isa

http://virtualrealidade.blogspot.com

Pedra da Lua disse...

Olá João! Como sempre adorei o seu texto, o outono pode ser muito bonito, somos nós que fazemos de cada estaçao o que ela é. Uma boa semana. Um beijinho

bitu disse...

Passei para ver se havia novidades e para desejar um bom fds.
Um abraço amigo

angelis disse...

O Outono é nostálgico, mas também colorido, tem pinceladas de cores que nenhuma outra estação tem. Por isso é belo e sedutor.

Anônimo disse...

Essa nostalgia ainda continua;)
Grande abraço