sábado, 9 de agosto de 2008

Vendilhões de dignidade

Nestes últimos tempos estive um pouco ausente da net, principalmente da blogosfera, não sei explicar a razão, algumas vezes por falta de tempo devido ao trabalho, outras, por falta de inspiração, ou, por ter o pc ocupado pela minha herdeira, que está em férias escolares, mas aqui estou eu a escrever sobre um tema que tenha andado a matutar.


Quando era pequeno ouvia dizer a meus pais que o dinheiro era a coisa mais porca que existia à face da terra, explicando que as notas e moedas passavam de mãos para mãos de todo o tipo e classe de gente, desde o mais pobre ao mais rico, do arrumador de automóveis ao engenheiro ou do doente ao são.

Eles simplesmente se referiam à matéria de sujidade que o dinheiro vai adquirindo e suportando ao longo dos tempos, mas nos dias de hoje eu poderia responder-lhes que o dinheiro também transporta consigo e cada vez mais, outro tipo de sujidade, uma espécie de imundice indecorosa e por vezes desonesta, que conspurca a alma de muita gente.

Vários acontecimentos na nossa sociedade levam-me a reflectir que o muito dinheiro, fama e poder “transformam o visual” de certas pessoas. Com a riqueza, por magia, os velhos passam a novos e os feios ficam lindos de morrer. Quantas vezes têm assistido na nossa sociedade, a enlaces de velhos e feios com novas e lindas mulheres e vice-versa!? Claro que toda a gente tem direito à felicidade, mas nestes casos é só hipocrisia e (im)puro jogo de interesses. Poderia focar alguns casos mas não vale a pena, pois são do conhecimento de muita gente.

Na maioria dos casos de corrupção, tráfico de droga e burlas, o dinheiro é o móbil e leva muita gente a vender a sua alma.


Também no mundo do futebol, o dinheiro faz perder a lucidez. Ultimamente, no nosso panorama futebolístico, surgiram dois ou três casos, destacando um jogador de uma das três equipas “grandes”, tido como um exemplo de futebolista, com grande carácter, uma humildade e dedicação ao clube de assinalar, que vendo a oportunidade de ganhar milhões, ficou ofuscado, esquecendo os compromissos assumidos.

Pelos vistos, não há nada que o dinheiro não compre, até a dignidade!

Segundavida

11 comentários:

jo disse...

Tens toda a razão o dinheiro transforma os seres por dentro e por fora. O que certas pessoas são capazes de fazer por causa do vil metal, mas não há volta a dar-lhe o mundo refina em patifaria.

solange disse...

Adorei esse comentário que vc escreveu sobre o dinheiro .Concordo plenemente contigo,infelizmente vivemos em um mundo hiper capitalista,onde certas pessoas fazem tudo por dinheiro:tiram as roupas,fazem plástica ,botam silicone não deixam que a própria natureza faço o seu trabalho,que é envelhecer com dignidade.As pessoas estão preocupadas com o exterior e estão se esquecendo do mais importante que é o interior .Não existi mais o amor pelas pessoas ,o que vale hoje não é mais o que vc é de fato e sim o que vc tem.

arte por um canudo disse...

O dinheiro é o maior poder...até a dignidade compra.Não digam que não..depende é da situação.Como referes segundavida nada a fazer porque é um mal que todos querem.Abraço

Luisa disse...

Felizmente que nunca tive nem muito dinheiro nem a falta dele. Nem passei por situações em que tivesse de optar entre a minha dignidade e a riqueza.

Anônimo disse...

Bom dia doce João...já me tinha questionado o que seria de ti :)...de volta e ainda bem, é bom ter por perto (ainda que neste mundo das palavras), boas almas, almas integras como a tua :)...è mesmo verdade, antigamente diziam que o sonho comandava a vida, hoje mais parece que é la plata que o faz. Quer se queira quer não por muito "porxo" que o dinheiro seja, faz sempre muita falta...pena é que por vezes as pessoas vendam a alma e secalhar mais alguma coisa para atingir certos fins. Isto de logo pela manhã começar a tentar dizer alguma coisa acertada não é fácil ;)....Beijinho grande da João para o doce João ....

Anônimo disse...

Desculpa mas aqui no trabalho temos de usar um proxy para aceder a algumas paginas, por vezes a net n funciona bem...nos blogs por exemplo não me deixa identificar, logo tou anónima, acho que descobrias facilmente quem sou eu mas mesmo assim aqui fica :) o anónimo é tão somente a Maria de oteudoceolhar ;) muahs!

Anônimo disse...

Sempre ouvi dizer que há 3 coisas na vida importantes: Saúde, Dinheiro e Amor. Não interessa a ordem...saúde e amor são fundamentais e o dinheiro também. Acho (tenho a certeza) que o problema não é o dinheiro, mas sim as pessoas que o têm e a forma como o usam. E ficávamos aqui o dia todo a falar do assunto;)
Grande abraço :)

mary90 disse...

olá joão.
Mas que longa ausência!
Este tema mostra a realidade dos nossos tempos.
Há pouco ouvi um patrão a dizer, para outro com algum dinheiro o tipo faz tudo o que eu quero, não há ninguém que não se venda todos têm o seu preço, será.
No tempo do meu pai já ouvia dizer por dinheiro até vendem a mãe, era uma expressão muito usada.
O que é certo e que para uma jovem um velho feioso é um príncipe!
O dinheiro sempre muda tudo para algumas pessoas.
Um abraço

marius70 disse...

Existem pessoas tão sumamente pobres que só têm dinheiro.

(autor desconhecido)

Uma vez vi um "porco", anão, vestido de branco, a seu lado uma beldade que fazia de Pamela na série "Dallas". Estavam de "amores"!

Fiquei curioso em saber a razão de tal "união". Ele era um "xeique" do petróleo e de muitas outras patifarias, afinal havia uma razão muito forte para tal enlace... O dinheiro!

Vou ver se há petróleo no Beato, nunca se sabe, anão não sou!

:)))))

Tudo tem um preço até a dignidade!

Um abraço João

Bia disse...

O "dinheiro"pode realmente transformar as pessoas...
Mas vivemos numa sociedade de consumo e onde por vezes se dá mais valor ao aspecto exterior do que ao interior...
Boas férias!!!

Mar disse...

João, é por isso que o time brasileiro tem jogado tão mal. Os jogadores são muito bem pagos e fazem sucesso por si só. Eles precisam ser bons apenas poucas vezes.. e depois ficam milionários. Por isso sempre torço por times da África em campeonatos mundias. O dinheiro é sujo em todos os sentidos. Até a guerra santa que leva o nome de "santa" é feita pelo poder de interesses.