domingo, 4 de maio de 2008

O início

"Foi o amor que me subtraiu ao nada. Além disso tive duas vidas, a primeira, vivida no ventre da minha mãe; a segunda, em que habitei este vasto mundo. Do momento da minha concepção ao meu nascimento, vivi em forma condensada à história da génese.

No início fui uma criatura aquática. A bolsa das águas substituiu o mar primordial do começo do mundo. Naquela altura era eu do tamanho de um feijão, era muitíssimo parecido com os animais. Naquela idade em que o nosso corpo se forma e consolida lentamente, somos todos parecidos como se fossemos gémeos, pois somos como fios de água que jorram da mesma fonte, como as nervuras de uma mesma folha, os ramos de uma mesma árvore. Somos membros da mesma tribo, a grande tribo dos seres vivos.

Foi assim que fui um bocadinho peixe, um bocadinho rã quando ainda vivia na barriga da minha mãe. Tinha guelras no pescoço e barbatanas nos flancos e flutuava entre duas águas no meu aquário flexível e redondo.

Todos os seres se constroem, célula após célula, como uma grande vila com ruas e bairros, ao som ritmado do bater do coração. E as veias traçam-nos no corpo percursos semelhantes aos dos rios na terra."

Texto que extraí de “Génesis”, um filme que achei fantástico, em que um ancião Africano, mestre da sabedoria, conta a “sua” versão da criação do mundo e da origem da vida, fazendo também uma apologia entre o ser humano e os restantes animais, acompanhado por imagens fantásticas.

Ver sinopse do filme Génesis


A todas as mães um feliz dia!

Segundavida

14 comentários:

Magui disse...

Bela homenagem.Não conheço este filme.Pode ser que tenha nome diferente por aqui...

arte por um canudo 2 disse...

Linda homenagem. FELIZ DIA DA MÃE.Um abraço

grilinha disse...

Obrigada João

Pedra da Lua disse...

Olá de novo, nunca vi o filme de que fala mas ao ler este excerto despetei a curiosidade, adorei essas palavras e acho que foram impecavelmente escolhidas para uma dedcatória no dia da mãe, a sua certamente que lá do lugar para onde ela foi, se sentiria honrada por perceber a importancia que o João dá à Vida, ao inicio da Vida. Votos de uma boa semana. Um beijinho

Mariza Vitoria disse...

Belissimo texto. Adorei sua homenagem.

Jotas disse...

Somos todos um pouco de memória curta, nisso amigo tens toda a razão, eu sei que puxo a brasa à minha sardinha, mas é também um modo de espicaçar os ânimos, principalmente do meu sobrinho.
Mas este teu fabuloso espaço é bem mais pacífico e só alguém como tu para descrever a veradeira natureza de uma mulher que é mãe e a nossa MÃE é sem dúvida o mais belo elo da nossa vida, elas são a magia, a beleza e o mais belo acto de concepção de uma vida.
Um forte viva às nossas mães.

P.S. o cafezinho, naturalmente não pode falhar, é um verdadeiro derby ao sabor de uma bica, mas este é bem mais salutar.

mary90 disse...

Obrigada João.
É uma das homenagens à mãe mais bonitas que eu já vi.
Um abraço

tibeu disse...

Bonita homenagem ás mães, tb me calhou hehe bj

Mar disse...

Vou ver a sinopse do filme agora.
Estou curiosa em assistir esse filme afinal, parece que vc adorou o filme.
Fico pensando se é um que assisti.. assisti um filme com esse nome mas é um filme antigo. Se for lançamento, com certeza não assisti. Bjs.. valeu a dica guerreiro.

Mar disse...

Assisti a sinopse.. hmm não lembro. O que assisti apareceu Abraao, Moisés, ou seja, era um filme bíblico embora o começo do filme era mais ou menos a sinopse que vc anexou. Assisti ou não assisti.. that a question! rsrs

Luisa disse...

Se nascemos todos iguais por que razão nos diferenciamos tanto depois? fisica e emocionalmente? Dá que pensar...

Sílvia disse...

Vivam as mães, as verdadeiras, de coração!
Boa semana!
http://sunshine.blogs.sapo.pt/

bitu disse...

Não vi o filme mas , como mãe, agradeço a homenagem.
beijokas

Anônimo disse...

Duas certezas: Como nascemos e que morremos.
Fiquei com curiosidade, referente ao filme mencionado.

Grande abraço